Tricotar hoje

22 Mar 2015

Pensávamos assim "que bom era ensinar que tricotar pode ser uma coisa tão simples, e que apenas com os pontos básicos do tricot se podem fazer peças tão bonitas, principalmente se forem usados fios bonitos de fibras naturais." Até à decisão de criar um workshop não faltou muito, já tínhamos a motivação em nós.

Foi mais ou menos assim que surgiu a ideia deste workshop e com ele a ideia de passar conhecimento prático nesta área, ainda tão estigmatizada e pouco valorizada do ponto de vista visual e até criativo.

Em Portugal, criar objectos a partir de têxteis, malhas ou fios é visto sempre de lado, como quem está a entreter-se, a passar tempo a fazer crescer uma peça nas mãos durante horas. Uma forma de mudar um bocadinho a forma como olhamos uma peça de malha, e de a valorizarmos, é conhecermos a técnica para a produzir. Ao tornar-mo-nos fazedores, em qualquer escala (do hobby ao trabalho a tempo inteiro), olhamos de forma muito diferente para os objectos. Quando sabemos tricotar, uma camisola de malha que alguém usa no autocarro ou um gorro numa loja tornam-se linguagens próximas e a valorização dessas peças é inevitável.

Queremos aproximar o tricot das pessoas, de quem tem curiosidade, de quem nunca pegou num par de agulhas ou de quem não sabe bem a diferenças entre crochet e tricot. Este workshop foi pensado para todos.


Também não foi uma coincidência a imagem que escolhemos para o workshop: queríamos ensinar precisamente a tricotar segundo o método continental (ou alemão), que é, provavelmente, um dos métodos mais difundidos pelo mundo (ocidental). A sua vantagem — essencialmente em relação ao método português de fazer malha — é a existência de uma abundância de literatura e conteúdos digitais sobre o tricot segundo este método, disponível a qualquer pessoa, especialmente na língua inglesa. Não pretendemos com esta opção menosprezar o método português, apenas aproximar os iniciados no tricot a uma diversidade de conteúdos enriquecedora e incentivadora.

Interessou-nos também trabalhar com materiais portugueses e ser didáticos nos conteúdos, por isso quem vier ao nosso workshop sai de lá não só com a amostra que produziu mas também com um par de agulhas e uma brochura produzida por nós, com conteúdos básicos sobre tricot, para que possa chegar a casa e pôr em prática o que aprendeu. Vamos ter também disponível para venda no dia do workshop, a com que vamos trabalhar.

Só falta referir que o workshop vai ser dado pela talentosa tricotadeira Sabine Mader, uma alemã apaixonada pela cidade do Porto, que já orientou vários workshops de tricot na cidade.
Nós as duas vamos organizar, dar apoio e receber os formandos para uma manhã bem preenchida.


No comments:

Post a Comment