Cobertores de Desperdícios

Fotos: Miguel Barbot

Fotos: Miguel Barbot

Uma das novidades da nossa loja pop-up são estes cobertores cinzentos, de riscas coloridas, feitos com desperdícios têxteis. Têm um conteúdo de algodão próximo dos 80% com o restante de fibras sintéticas, mas a verdade é que são um reaproveitamento de lixo têxtil, que como sabemos, é altamente poluente. São fabricados em Portugal e estão, aparentemente, em vias de extinção, uma vez que a fábrica que os produz estará em risco de fechar.

Todas as pessoas que os vêem e lhes tocam têm memórias de já terem visto um cobertor daqueles em casa de alguém. Segundo os fornecedores, eram os cobertores usados pelos trabalhadores das quintas para se aquecerem durante o Inverno, mas foram muito popularizados como “cobertores de mudanças”, que por serem económicos, eram ideais para proteger os móveis quando se faziam mudanças. Hoje em dia são usados em aulas de yoga, utilizados tanto como suporte para as várias posturas, como para cobrir o corpo durante a fase de relaxamento.

São macios e muito quentes, apesar de serem finos e leves. O tamanho deste cobertor não se adivinha quando está enrolado ou dobrado. Práticos para o campismo, pic-nics e outras atividades ao ar-livre, é um objeto valioso para levar em viagens de carro. Em casa, faz uma cama acolhedora e quente muito rapidamente, para qualquer visitante inesperado.

Cada cobertor é enviado enrolado, preso com um cinto de pele ajustável, produzido artesanalmente por nós. Fazem um presente aconchegante, mesmo a tempo deste Natal.


Agradecemos ao Miguel Barbot, da Velo Culture, pelas bonitas fotografias feitas no pátio da loja de bicicletas, num daqueles dias nublados tão portuenses.